quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Fitness, fashion e poder ser seu!



Lembra que a gente mostrou o making of da nova coleção da CCM com a super top Marcelle Bittar?

Agora o site que tem tudo sobre o que há de melhor nas serras cariosas Alto Carioca e a CCM vão sortear uma peça exclusiva que pode ser sua! Animou? Mande uma imagem, uma foto, que revele um lugar ou um momento, de calor. Use a sua criatividade para mostrar o que aquece a sua vida! Você pode mandar a foto até o dia 6 de outubro para o email altocarioca@altocarioca.com.br.

O resultado será divulgado no blog, no facebook e no twitter do Alto Carioca no dia 8 de outubro. A foto vencedora será publicada no blog. Boa sorte!

über-adoramos a promoção

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Pierre Cardin volta à Lady Gaga

Macacão para ele e para ela remete aos filmes de ficção científica dos anos 60  Foto: Getty ImagesVermelho e verde são outras cores propostas pelo estilista, que quer alcançar os jovens  Foto: Getty ImagesVestidos curtos com pegada anos 60, exibidos no desfile de Pierre Cardin  Foto: Getty ImagesVestidos de noiva bordados e mais retos são apresentados no desfile do estilista francês  Foto: Getty ImagesCapas azuis unissex de material impermeável de Pierre Cardin  Foto: Getty ImagesVestido reto em cor sóbria com faixa bicolor: boina grande completa o visual  Foto: Getty ImagesA capa plastificada para homem e mulher na versão amarela  Foto: Getty ImagesO estilista Pierre Cardin, 88 anos, ao fim de seu desfile, após 10 anos de ausência na semana de moda francesa: energia de jovem  Foto: Getty Images
 
Pierre Cardin, 88 anos, voltou a desfilar na Semana de Moda de Paris, após dez anos de ausência. O objetivo do estilista é ficar mais conhecido entre os jovens e aumentar suas vendas nos Estados Unidos, onde desfila em outubro. Na apresentação dessa quarta feira, o estilista mostrou uma coleção com pegada anos 60 e um de quê de ficção científica e era espacial.
 
Peças como macacões e casacos coloridos eram apresentados por garotas e garotos, mostrando um estilo unissex. Cores fortes, como rosa, azul e amarelo vinham em peças também plastificadas ou em vestidos tubinho. Vestidos brancos bordados para noivas, mais sequinhos e cores mais sóbrias também desfilaram.
 
O estilista, que recentemente vestiu Lady Gaga, disse em entrevista ao jornal e site WWD, que sente vergonha de seus licenciados pelo mundo, porque não apresentam nada de novo, principalmente para os homens. "Isso me leva ao desespero. Mando meus desenhos, mas eles não copiam. Tem muita roupa masculina para velho. Tudo muito clássico", disse Cardin, cuja marca completa 60 anos este ano.
 
É ele mesmo que desenha suas coleções e disse que não quer estilistas jovens em seu lugar. "Sou capaz de desenhar 100 modelos em uma hora. Trabalho com uma equipe de cinco jovens. E acho que os designers mais novos não são mais avant-gard do que eu. Estou em plena forma."
 
Segundo ele, isso se prova exatamente quando pessoas como Lady Gaga usam sua coleção. "Eu vesti Beatles e Rollings Stones. Sempre fiz roupas provocantes para os jovens", afirmou ao WWD. Só resta saber se os jovens de hoje, além da provocativa cantora americana, estão dispostos a se vestir da forma como nos anos 60 se imaginava que seriam as roupas do século 21. Ok, há um retorno aquela década em várias grifes. É esperar para ver.

Será o Snoopy a nova Lara Stone?

Conforme adiantamos na matéria "Snoopy faz mudança inédita em logo Lacoste", o aniversário de 60 anos da Peanuts seria celebrado com uma série de produtos alusivos à importante data. O projeto iniciou com a interação dos personagens com o crocodilo Lacoste e segue com mais produtos que mostramos nesta matéria.


Converse trabalhou em seus clássicos Chuck Taylor, trazendo histórias em quadrinhos ilustradas em toda a peça. Da parceria com OriginalFake, foram criadas camisetas de passeio com estampas reformuladas dos personagens. Longchamp colaborou com uma bolsa ilustrando Snoopy correndo, em paródia ao próprio logo. Bearbriks construiu toy arts dos personagens da série.


Exclusivas para o público feminino são as bolsas Mulberry, na versão intitulada Bayswater, com a turma de Charlie Brown gravada. Já Marisa incluiu Snoopy e seus amigos na coleção do Dia das Crianças dedicada às meninas.

Pelo jeito o cachorrinho anda mais em alta que a Top nº1 do momento Lara Stone (segundo o Models.com). Vala lembra que em 2009, o fofo do Snoopy vestiu as roupas das grifes mais descoladas do planeta fashion.

Fonte:UseFashion

Missoni - Cool Home


Depois do sucesso de suas lojas de roupas, a Missoni trouxe ao Brasil sua moda casa, cheia de estilo e sofisticação. Localizada na charmosa Vila Conceição, em São Paulo, a Missoni Home oferece móveis, roupas de cama, mesa e banho, louças e acessórios de decoração para quem quiser o estilo despojado chic também em casa. A flagship de 400m² foi a primeira inaugurada na América-Latina.

A Missoni Home foi criada na década de 80, para trazer para dentro de casa a maneira como os idealizadores da marca Ottavio e Rosita Missoni enxergam o morar, refletindo o DNA da empresa. As peças da linha Home têm o mesmo estilo marcante das roupas, com muitas cores, grafismos e ilustrações. Entre as diferentes linhas de produtos lançadas no Brasil, estão Tropical, Golden Age, Erbário e Modernismo, e os lançamentos chegam à loja paulista simultaneamente com as demais lojas no exterior. Estilo em todos os lugares!

Rua Lourenço de Almeida, 805 - São Paulo
Tel: 11 3034 6469
http://www.missonihome.it/

Dries Van Noten - razão e sensibilidade



Vindo de uma família envolvida com moda há dezenas de anos, o estilista belga Dries Van Noten é um ótimo exemplo de como a moda low profile pode ser muito instigante. Suas coleções elegantes prezam pelo conforto e pela diversão na hora de se vestir, sempre com peças chave e muitas influências clássicas como camisas brancas, cintos finos e peças de cintura alta. Tudo com uma pitada de tendências e muito despojamento. Suas peças são conhecidas por misturarem razão e sensibilidade em looks que fazem a cabeça de antenadas e modernas de toda a Europa.

Van Noten nasceu em Antwerp, na Bélgica, e faz parte da terceira geração de alfaiates da família. Na década de 70, seu pai inaugurou uma grande multimarcas em sua cidade natal, vendendo grifes como Ungaro, Ferragamo e Zegna, que serviram de inspiração para que Dries se tornasse um estilista. Aos 18 anos ele começou a estudar moda na Antwerp's Royal Academy, e trabalhar como designer freelancer para uma confecção belga. Suas peças ficaram conhecidas por todo o país e, juntamente com outros quatro estilistas belgas, ele foi convidado a desfilar uma coleção própria para experts da moda em Paris. Logo depois veio o convite para produzir uma coleção inteira para a Barney's, que foi sucesso imediato, conferindo projeção internacional ao estilista.

Em 2007 o estilista inaugurou uma flagship store na badalada Rue Bonaparte, em Paris, consagrando-se como um dos mais importantes estilistas europeus. A mistura entre formal e casual é uma das marcas de Van Noten, que também é conhecido por misturar estampas completamente diferentes, obtendo um resultado original e sofisticado. Suas coleções misturam referências de diversos períodos, como os anos 50, 60 e 70, sempre gerando resultados graciosos e atemporais. Em sua última coleção feminina desfilada na semana de moda de Paris, o belga trouxe composições joviais e elegantes, com uma cartela de cores neutra que incluiu preto, marinho e camelo combinados a estampadas pintadas a mão na seda em púrpura e verde. Saias godê, parkas, cinturas marcadas e muitas peças femininas são 'must have' em qualquer estação, e detalhes militares e de alfaiataria fazem toda a diferença nos looks. Sua linha de 'menswear' também merece destaque. Blazers combinados a bermuda de alfaiatarias, jeans estonados, diversas padronagens de xadrezes e uma divertida estampa chamada de 'splash' fazem da linha masculina chic e fun ao mesmo tempo.

http://www.driesvannoten.be/

Raquel Zimmermann posa nua

Raquel Zimmermann em pose sensual para a revista  Purple Fashion  Foto: DivulgaçãoA top foi fotografada pela conhecida dupla Inez Van Lamsweerde e Vinoodh Matadin  Foto: DivulgaçãoRaquel faz uso apenas de um maxi colar como acessório  Foto: DivulgaçãoA top, que desfila com exclusividade para Animale, provou que está em excelente forma  Foto: Divulgação
 
A modelo ícone Raquel Zimmermann mostrou que não tem vergonha de exibir o seu corpo. A loura posou nua na edição de inverno da revista Purple Fashion.
 
Fotografada pela conhecida dupla Inez Van Lamsweerde e Vinoodh Matadin, a gaúcha aparece em imagens provocantes e sem usar nenhuma roupa, apenas acessórios como maxi colares.
 
Raquel Zimmermann é considerada modelo ícone, segundo o site-referência Models.com. Aos 27 anos, começou sua carreia aos 14 fotografando para revistas adolescentes, como a Capricho. A loura já emprestou seu rosto para marcas como Lanvin, Balmain, Roberto Cavalli, entre outras, e aqui no Brasil tem contrato exclusivo com a marca Animale, integrante da São Paulo Fashion Week.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Vogue 90 anos!


É a capa mais bonita de 2010. Aniversário de 90 anos da Vogue que nem sempre foi Paris e sim uma época França. Bem, imagens que o Dino me manda de Fortaleza!!!! Louco isso da internet e ao mesmo tempo delicioso!!! Lara Stone na produção de Carine Roitfeld para viver aquela mulher que todas temos que soltar de dentro de nós ao menos uma vez por mês!!!

Textinho do meu amado info-hunter cibernético Dino: "A revista Vogue Paris de Outubro completa 90 anos e somos convidados para a festa de Carine que convocou Lara Stone para estrelar a  belíssima capa clicada por Mert Alas & Marcus Piggott"
Solta o editorial que estou curiosa: 

Baile de máscaras é uma coisa que francês ama!!!
O da Vogue é com Freja, Mariacarla Boscono, Crystal Renn e Daphne Groeneveld:






 
Quanta magistralidade de Carine. A editora da Vogue Paris é uma expert, uma perfeccionista, uma profissional que consegue deixar fluir o ar dos tempos, onde se mesclam passado, presente e futuro. A moda é sempre tudo isso, até meio confuso. O que me ficam dessas imagens é uma sensualidade que tem castidade. Uma castidade que tem sensualidade. Um ser que não se define por apenas sexualidade, uma roupa que transcende o corpo. Um corpo que vende moda.  Vive la France!!!

Fonte:http://anaclaragarmendia.blogspot.com/2010/09/vogue-90-anos-carine-roitfeld-lara.html

Über-green: 10 dicas para deixar o seu armário “verde”

 


1. Planeje antes de comprar

Abandone as compras por impulso. Analise bem se aquela roupa ou acessório servem para você ou se é só uma vontade passageira. Assim você evita perder dinheiro e espaço em seu armário.

2. Ame suas roupas

Cuide-as com carinho. ‘Acidentes’ domésticos provocam pequenos desastres como manchas ou tecidos queimados. Se cair um botão ou tiver que ajustar um pouco, procure uma costureira e veja se há como reparar. Para os mais empolgados, é uma boa hora para aprender a lidar com linhas e agulhas.

3. Evite lavagem a seco

Máquinas de lavagem a seco usam tetrachloroethylene, uma substância cancerígena. Procure lavanderias que trabalhem com “wet cleaning” ou CO2 líquido. Muitas peças que antes eram lavadas a seco já podem ser lavadas a mão, especialmente as de seda, lã e linho. Fique de olho nas etiquetas. Se você preferir recorte as orientações e cole em um pequeno caderno ou guarde em uma caixinha para conferir quando precisar.

4. Compre peças antigas ou usadas

Use a criatividade e tenha um estilo próprio. Busque em bazares, feirinhas, brechós, troca de roupas entre amigas. Vale tudo. Se tiver roupas ‘herdadas’ que possam ser interessantes, aposte. Acessórios antigos sempre funcionam Tenha cuidado para ver se tudo está ok. Peças antigas ou usadas podem estar danificada pelo tempo ou pelo uso. Dependendo, uma reforma resolve e ainda sobra espaço para uma boa customizada.

5. Lave bem

Tenha cuidado para não desperdiçar energia. Junte bastante roupa antes de lavar, para economizar na água, luz e sabão. Procure usar a temperatura mais baixa possível. Opte por alternativas naturais na remoção de manchas nos tecidos e produtos que sejam livre de fosfato e biodegradáveis. Se estiver procurando por uma lavadora nova, verifique se possui selo de economia energética ( no Brasil, do Inmetro). A mesma dica vale para os ferros elétricos.

6. Vista orgânicos e tecidos com material reaproveitado

Os tecidos orgânicos e os desenvolvidos com materiais reaproveitados chegaram para ficar. Na opção do orgânico é possível escolher desde o algodão até a seda, certifique-se de que possui selo de autenticação (que identifica se a produção realmente é feita sem agrotóxicos). Os tecidos com materiais reaproveitados como o tecido PET são uma inteligente opção, fomentam o reaproveitamento de materiais como as garrafas pets e agregam ativos ambientais para a peça.

7. Encontre uma nova utilidade

Reciclar não é somente reaproveitar. Seja criativo, inspire-se no mundo a sua volta e aproveite o que já existe para reinventar. A proposta está sendo cada vez mais abraçada por estilistas internacionais – chegando a ser desafio até mesmo para o pessoal do Project Runaway. Observe aquelas roupas e acessórios antigos e descubra potenciais fashion adormecidos. Caso não agrade a idéia, reúna o que não precisa mais e leve a entidades carentes. Se nós não encontramos novidade, outros encontrarão.

8. Investigue as origens

Nesse boom de novos tecidos, desconfie do mote ecológico. Como tudo na vida, o que aparentemente poderia ser a solução, pode ser um problema. Mantenha-se informado, converse com os donos de lojas e das marcas e faça escolhas conscientes.

9. Escolha roupas éticas

Muitas empresas, além de cuidarem da natureza, investem em sustentabilidade e responsabilidade social. Valorize e incentive esse tipo de ação. Procure saber onde ficam as fábricas das empresas que você compra. Muitas multinacionais utilizam abordagens de mercado que incluem maximizar o lucro e deixar de lado preocupações humanitárias, como a luta pelo fim da exploração de mão-de-obra infantil e escravidão (problemas comuns em países latinos, asiáticos e africanos).

10. Não desperdice
Não é porque aquele vestido não está na próxima tendência que ele merece ir pro lixo. Se for algo que de-jeito-nenhum-você-usará-novamente, venda, troque, doe. Há muita gente no mundo precisando de ajuda. Fique informado sobre ONGs e entidades que prestam auxílio a pessoas necessitadas. Colabore com movimentos de apoio a vítimas de catástrofes climáticas (como enchentes e tempestades). É uma maneira de amenizar as conseqüências do aquecimento global e motivar uma mudança.
  
Fonte:ColetivoVerde

über-green: Tecidos sustentáveis... saiba mais!

Algodão

Esta é uma fibra sensacional para roupas, mas o cultivo tradicional do algodão causa problemas tanto ao meio ambiente quanto aos trabalhadores por conta do uso de pesticidas e inseticidas que causa doenças e espalha a poluição nos lençóis freáticos.

O algodão orgânico é cultivado sem uso destas técnicas e não causa estes distúrbios, mas requer muito trabalho – e o campo tem que estar livre dos aditivos químicos pelo menos por três anos antes do produto ganhar a certificação. A demanda global pelo algodão orgânico cresce exponencialmente e a grande questão hoje é como produzir o suficiente para atender a todos. La Rhea Pepper, do Organic Exchange, declarou a Linda: “Para encorajar a produção das fibras orgânicas precisamos discutir e implantar modelos que reconheçam o valor do produto dos limites das fazendas até o final da cadeia produtiva.”

Cânhamo

Sim, a planta produz fibras vestíveis, além do produto ilegal – e é uma das matérias primas mais promissoras. É altamente produtiva sem uso de pesticidas ou inseticidas e melhora o solo onde é cultivada. É resistente e pode ser plantada em quase qualquer clima. O tecido pode ser feito quase sem uso de produtos químidos e como não pede grande tecnologia para ser feito, pode ser realizado na fazenda, aumentando o emprego e reduzindo os custos de transporte e poluição decorrentes.

O Cânhamo tem sido usado como matéria prima para tecidos há milênios e só recentemente se tornou controverso. Como a planta também produz maconha é ilegal nos Estados Unidos (no Brasil também) mas é cultivada legalmente na Europa, Ásia e Canadá.

Bambu

O tecido produzido a partir do bambu tem grande suavidade – é comparado ao cashmere. Como a planta cresce rápido e fácil, é em grande parte naturalmente orgânico. Não precisa ser replantado depois da colheita e cresce novamente a partir das raízes. Como o cânhamo, ele melhora a qualidade do solo e ajuda a reconstituir os efeitos da erosão.

Há duas formas de fazer tecido a partir do bambu: mecânico ou químico. O método mecânico pede que se prense a parte da madeira e depois se acrescentam enzimas naturais que produzem uma polpa que pode ser “penteada” e tecida. O resultado deste processo costuma ser chamado de “tecido de bambu”. E uma minúscula parte da produção destina-se ao vestuário porque o método exige muito trabalho e é caríssimo.

O tecido de bambu usado para vestuário é em grande parte resultado do processo químico, que é feito através do “cozimento” das folhas e ramos em hidróxido de sódio e dissulfato carbônico (hidrólise por alcalinização combinada ao bleaching) . Este processo causa muitos problemas de saúde. Em baixa quantidade, cansaço, dores de cabeça e problemas nervosos. O dissulfato carbônico é indicado como origem dos problemas nervosos de trabalhadores na produção de rayon… Exatamente por conta disso é considerado prejudicial ao meio ambiente e não é sustentável nem ecológico. A boa notícia é que há novos jeitos de produzir a fibra de bambu. Por isso mesmo, antes de comprar, olhe a certificação – Oeko Tex, Soil Association, Skal, Krav ou qualquer similar.

Soja

Além de ser bacana para o corpo e a alimentação, a soja produz um tecido famoso por sua suavidade, conforto, brilho e caimento – que se combinam à lavagem fácil e durabilidade. É mais caro que o algodão orgânico ou cânhamo e tornou-se um produto de luxo. Outro ponto positivo é que é produzido com as sobras da indústria alimentícia. Existe alguma soja certificada – mas pouquíssima.

A pesquisa sobre o plantio de soja, claro, não leva a nenhum resultado positivo. Só aqui no Brasil a gente sabe bem o que as plantações têm feito ao cerrado e à Amazônia. Sem falar que grande parte das plantações usam sementes geneticamente modificadas (a tal soja transgênica que é usada na Argentina e aqui também). Esta prática causa danos aos rebanhos e plantações vizinhas. Em menos de uma década, as plantações de soja expulsaram gente do campo e causam sérios desequilíbrios ecológicos e agrícolas, detonam a segurança alimentar e levam à dependência de tecnologia controlada por duas ou três multinacionais. Antes de comprar qualquer coisa produzida com este tecido vale verificar a certificação orgânica.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Tudo novo na COLCCI?

Img_0004

AMC Têxtil reformula a Colcci, principal marca do grupo catarinense, e promete mudanças na passarela do SPFW e troca de estilista.

Só nos resta aguardar pra ver o que vai dar. Será que Gisele continua? Claro! Eles não são doidos de perder seu maior trunfo.

Fonte:CHIC.com

Levi’s® escolhe Brasil para lançar Curve Id



Na última terça-feira, 21 de setembro, fashionistas de São Paulo conheceram, com exclusividade, o lançamento da linha Levi’s® Curve ID, apresentada pelo vice-presidente de Merchandising e Design Feminino da marca Mr. You Nguyen. Durante o evento realizado em São Paulo, Nguyen contou todos os detalhes da pesquisa de quase dois anos que levou ao desenvolvimento da linha que pretende vestir 80% da população feminina mundial. “Fiquei espantado com a dificuldade que as mulheres têm em encontrar o jeans perfeito para seu corpo”, conta o designer. Segundo os resultados obtidos pela marca que, atualmente, tem cerca de 35% de seus produtos direcionados ao público feminino, 87% das mulheres não estão satisfeitas com os modelos encontrados no mercado, e gostariam de peças que ficassem melhores no corpo.

Para entender o comportamento feminino, You Nguyen acompanhou algumas consumidoras às comprar. “Indo às compras com as mulheres reparamos que, ao experimentar um jeans que não lhe cai bem, a mulher, automaticamente, acha que precisa emagrecer e fazer exercícios, quando, na verdade, é o jeans que deve se adaptar ao corpo, e não o contrário. Ao vestir uma calça, a primeira atitude da mulher é se virar no espelho e conferir o caimento do jeans no quadril e coxas, o que acabou focando nossa pesquisa para chegar ao resultado final da Curve ID”, explica.

Caimento perfeito

“Desde que criamos o primeiro jeans feminino, há 75 anos, ninguém tinha alterado a fórmula para encontrar o caimento perfeito. Nossa abordagem revolucionária vai muito além do tamanho da cintura e quer ajustar-se às curvas reais do corpo inteiro da mulher. Nós criamos os três caimentos customizados - Slight Curve, Demi Curve e Bold Curve - que atendem uma parcela de tipos de shapes, permitindo que as mulheres encontrem seu caimento perfeito”, explica Mr. Nguyen. Até o final deste ano, um quarto shape será lançado pela Levi’s®, para atender o restante da população mundial feminina. A linha Levi’s® Curve ID já está disponível nas lojas da marca em todo o país.

domingo, 26 de setembro de 2010

Malhe usando calça jeans



Se para você, malhar de calça jeans pode parecer estranho, no que depender da Obbia, isso agora se tornará uma prática comum. Para a coleção de verão 2010/11, a marca  mineira de fitness lança uma das grandes novidades do mercado: a malha jeans, apostando em uma moda contemporânea.

Trata-se de um tecido tecnológico com textura de jeans que conta com elastano em sua composição. As peças têm shapes futuristas, recortes especiais e formas que alongam a silhueta e ressaltam as formas do corpo. Prova de que o denim atinge cada vez mais segmentos de moda.

Fonte:UseFashion

Aberta maior seção de sapatos do mundo

Além de um estoque com 55 mil pares de mais de 150 marcas, um espaço de exposição que comporta 4 mil sapatos. Estes números conferem ao endereço londrino da Selfridges o título de varejista com a maior seção de calçados do mundo. Alcançado recentemente, o recorde foi divulgado e celebrado nas vitrines da multimarcas.


Peças conceituais, que transformam desde máquinas de costura até ferros de passar roupas em sapatos, chamam atenção pela originalidade e pela relação da mulher dona de casa com a aficcionada por scarpins e peep toes.


Dorothy, protagonista do Mágico de Oz, é uma das personagens referenciadas pelos cenários, devido aos seus conhecidos calçados vermelhos. Para Chanel, a Era do Gelo serviu de inspiração para compor um ambiente branco e azul, enquanto Topshop Shoes referenciou Alice no País das Maravilhas.


fonte:UseFashion

Über Fashion

O Über Fashion existe desde 2009 e tem como publisher o blogger Fábio Monnerat.

O blog ainda conta com colunistas convidados.

O blog é indicado pelo EnModa e pelo curso de Fashion Business da FGV-RIO, já promoveu a abertura do verão de Búzios e faz palestras sobre moda masculina e comunicação de moda em todo o Brasil.

Alguns dos nossos parceiros: Handred, Cavalera, Profuse, Divertees, Poggio, Von Der Volke, Natura, Vichy, La Roche-Posay, Couthe, SkinCeuticals, Joias
Coacci, Sobre Barba,

Sua marca no Über, escreva para: ubermcom@gmail.com

Follow by Email