sábado, 31 de julho de 2010

über-tendência: Color Jeans




Coleção Inverno 2010 Tommy Hilfinger - Look Monocromático

Já visto no inverno, o color jeans aparece agora também na versão néon. A tendência que promete colorir o armário de meninos e meninas já é hit entre as celebridades e febre no hemisfério norte. Em diferentes modelagens, a calça, referência da década de 80, pode ser combinada a tons neutros, fechados, ou queimados.


Entre as marcas brasileiras que apostaram nas peças, destaque para grife Denuncia, que lançou em sua coleção inspirada nas macro tendências, as calças fluorescentes.


Coleção “Sweet Memories” da grife Denuncia

A cartela de cores, bem eclética, aposta em tons como o pink, coral, verde-limão, amarelo, rosa bebê, roxo, vermelho e laranja, além dos mais discretos cáqui e branco. Ótimo para iluminar e modernizar o visual, de acordo com o estilo de cada um.


Fonte:http://www.modalogia.com/2010/07/30/tendencia-color-jeans/

Missoni cria garrafa para a S.Pellegrino


Linda garrafa que a Missoni criou para a S.Pellegrino! A novidade fashion não deve chegar por aqui, mas com uma garrafa dessas não há sede que resista!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Moda masculina: Calças curta já!


Vamos começar a dobrar as barras das calças (eu já comecei). A moda da calça mais curta por causa da dobra está com tudo e vem para dar um ar mais descontraído à moda masculina. Pode ser agora mesmo, no inverno, e continue dobrando até o fim do verão que vem.

Para saber mais sobre essa tendência e muito mais sobre o universo masculino clique aqui - Além dessa matéria completa o site Maquiagem Masculina tem outras dicas de moda, beleza e comportamento... Imperdível.

Aguardo vocês no MM,

Fábio Monnerat

Inverno 2011 de Walter Rodrigues


Para apontar as tendências desta temporada, o estilista divide as possibilidades em 3 conceitos. Para criá-los, ele se colocou no lugar de 3 diferentes níveis profissionais:


Estagiário: a liberdade de criação finalmente é dada para o mais novo membro da equipe. Daí surgem inovações livres de normas, modelagens experimentais e a satisfação por fortalecer ideias antes intangíveis. A cartela de cores remete à trajetória do anonimato ao sucesso e compreende tons que vão do mais escuro pigmento até as cores que referenciam luzes.

Trainee: mais preparado e já formado, este profissional tem mais ferramentas para embasar suas criações. A alma do item é mais importante que sua estética, sobretudo na moda masculina. Materiais funcionais ganham relevância e suas cores variam entre tons clássicos de inverno em novas nuances e cores brilhosas.

Profissional consolidado:
Munido de contextualização e experiência, este é responsável por repensar roupas que caracterizam identidades já estruturadas. Propor repaginações para peças que já caracterizam uma tribo específica será o ponto forte deste nível. A cartela de cores é guiada por luz e calor, em um colorido brilhante, para transparecer paixão.
Fonte:Usefashion.com

Inspiramais: Novos rumos da moda brasileira

Não é novidade que a moda brasileira vem conquistando cada vez mais espaço no cenário mundial. No entanto, isto não é sinônimo de reconhecimento e algumas mudanças são necessárias para o país, que já não é mais promessa, alcance um patamar consolidado.

Para o Inspiramais, o desenvolvimento interno do Brasil, assim como o de sua imagem no exterior, depende principalmente da criatividade dos produtores de moda. Nesta 2ª edição do evento, que está acontecendo no Shopping Frei Caneca, em São Paulo (SP), diversos foram os caminhos apontados para isso. A seguir, acompanhe algumas visões trazidas em palestras da quarta, dia 28.


"O simples não é banal"
A frase acima é de Francesco Morace, sociólogo, jornalista e escritor italiano. Para ele, a originalidade profunda, sem clichês, é o pilar da construção de uma identidade forte para a moda nacional. Quanto menos os lançamentos de fora guiarem o que é produzido aqui, mais rapidamente a indústria interna vai ser identificada e valorizada.

O exemplo estrangeiro que devemos observar é o do mercado de luxo. "As grandes grifes exageraram na valorização de seus produtos. O consumidor mudou, não é bobo, e ao escolher itens de qualidade, considera muito mais a relação custo-benefício", afirma. Ele sustenta ainda que o artesanal e o industrial devem andar juntos para se tornarem mais fortes.



Renato Imbroisi, designer e tecelão carioca, concorda. Tratando exclusivamente do artesanato em sua palestra, abordou meios de promover esta conciliação sinérgica. Associar a imagem do local com os produtos, mostrar o mercado em potencial para artesãos e criar uma cadeia de produção, em que cada setor aproveita materiais restantes do anterior, são as medidas mais eficientes.

Repensar elementos e materiais de uma cultura específica com diferentes aplicações para a moda, como ele fez ao transformar bombachas (calças típicas de gaúchos) em colchas, também é um caminho interessante. Ao fazer isto, no entanto, é necessário decidir quais serão os produtos focados e perseverar neles.


Venda ideias, não produtos
Luís Justo, CEO da Osklen, também acredita na escolha de competências. Ele lembra que o modelo de criação da Osklen pode ser um meio de repensar a cadeia produtiva. O conceito para a próxima temporada, por mais inovador que seja, é definido muito antes das peças e segue o DNA da marca. Assim, visual de lojas, campanha publicitária e roupas ficam com um mesmo espírito.

Segundo ele, preço, exclusividade, marca e ponto de venda não importam mais, sobretudo no mercado de luxo. O cliente busca identificação nas peças que escolhe e quanto mais multissensorial for a divulgação da marca, mais fácil o consumidor entenderá o que a coleção que está na prateleira quer dizer. Mesmo assim, apostar em um estilo não é indicado: "todos somos compostos por um mix de lifestyles. Estereotipar seu público-alvo, limita seu alcance".



O discurso de Alvaro Arthur de Castro, professor e mestre em Ciências Sociais, reafirma esta identidade móvel regida pelo consumo que vivemos. Hoje, desempenhamos muitos papeis e somente um fragmento de nossa personalidade não pode representar o resto. Ninguém tem um só estilo de vida. "A principal vantagem disto é que nada precisa ser jogado fora, há consumidor para tudo", afirma ele.

Com a evolução da tecnologia, qualquer produto pode ser copiado, portanto não é seguro oferecer "produtos exclusivos", mas sim ideias novas. Informalidade e descontração são palavras que entram na concepção de um negócio de moda e o Brasil é privilegiado por ter diversas culturas diferentes convivendo em harmonia.

Para surpreender e ser inovador, Castro fala o óbvio e resgata a simplicidade, tópico salientado também por Morace. "Quando presto consultoria para empresas, muitas me perguntam como exceder as expectativas de seus clientes. Em vez de uma fórmula mágica, eu falo ´não invente, apenas entregue o que vende. Muitas vezes a pessoa paga por um produto e recebe outro´. Ficar surpreso hoje em dia não é muito diferente de ficar satisfeito.", conclui o palestrante.

Fonte:Usefashion.com

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Revista quer salvar os "machos de verdade"

Capa 05 com Ned Shatzer Foto: ReproduçãoCapa 01 com Chris Mosier   Foto: ReproduçãoCapa 02 com David Axell  Foto: ReproduçãoCapa 03 com Doug Porter  Foto: ReproduçãoCapa 04 com Marcus Andersson  Foto: Reprodução

Antigamente os ativistas apelavam para salvação do planeta, das baleias, da floresta Amazônica. Agora, a história é outra. A revista alemã Geil Magazine (que significa o mesmo que excitado ou com tesão) decidiu sair em defesa de uma nova causa: salvar os homens.
 
A edição de outono/inverno (são duas por ano: primavera/verão e outono/inverno) chega às bancas em setembro e traz em letras garrafais o alerta: "Save the males" (Salve os Machos). Na verdade trata-se de um desabafo da editora da publicação, Daniele Manicinetti, que disse não aguentar mais ver garotos magrinhos, carregando bolsas de grife e até dividindo o guarda roupa com as amigas. Então serão cinco capas com homens musculosos, barbudos, pêlos no peito e com cara de poucos amigos. Todos eles esperando ser salvos por você.
 
Os modelos Marcus Andersson (Ford Models), Chris Mosier (Ford Models), Doug Porter (Major), Ned Shatzer (Fusion) e David Axell (Click) foram fotografados pela dupla Idris e Tony que se inspiraram no antigo mundo grego para evidenciar a beleza masculina no ensaio.
 
A era de modelos magros, fashionistas, que só cabem em jaquetas estruturadas e calças skinny é coisa do passado, acredita Manicinetti.

Será que esta causa fashion pega?

Fonte:http://moda.terra.com.br/noticias/0,,OI4583789-EI1119,00-Revista+quer+salvar+os+machos+de+verdade.html#tarticle

Alta-Costura? Prêt-à-porter? Fast-fashion?...OI?


Quem está acostumado a ler textos relacionados à moda, sabe que palavras como alta-costura, prét-à-Porter e fast-fashion fazem parte do vocabulário dos interessados no assunto. Mas será que você realmente sabe o que significa cada um e quais as diferenças entre eles? A jornalista de moda Dinah Bueno Pezzolo explicou as diferenças entre as três de algumas das principais palavras do universo fashionista.
A alta-costura é a moda direcionada a uma clientela privilegiada Foto: Getty Images
 
Alta-Costura
A alta-costura é a moda direcionada a uma clientela privilegiada, de alto poder aquisitivo, que faz questão de exclusividade. Feita sob medida e com montagem em grande parte feita à mão, utiliza os mais finos tecidos, muitas vezes exclusivos. Quando o modelo possui bordado, o trabalho é feito pelos melhores profissionais. Em Paris, a célebre Maison Lesage, especializada em bordados, colaborou para o requinte da alta-costura assinada pelos maiores criadores de moda por mais de meio século. Em junho de 2002, a Maison foi adquirida por Chanel.
 
Foram várias as tendências criadas pela alta-costura que acabaram mudando o guarda-roupa das mulheres. Algumas imagens permanecem na lembrança - linha saco e trapézio -, enquanto outras se tornaram clássicos da moda, como o tailleur criado por Chanel em 1955, de tweed, com botões duplos, lapelas, cintos de correntes douradas e saia na altura dos joelhos.
 
O prêt-à-porter nasceu na década de 60 com peças luxuosas, mas industrializadas  Foto: Getty Images
Prêt-à-porter
No início dos anos 1960, a alta-costura continuava restrita a uma minoria abastada. A moda prêt-à-porter, ou pronto para vestir em português, então, mostrava artigos luxuosos, mas industrializados, e as peças "de confecção" eram as mais baratas, as populares. Hoje, o prêt-à-porter, com suas temporadas de apresentação de coleções, complementa os lançamentos da alta-costura, mas com estrutura própria, capaz de surtir o mercado mundial. Desde os anos 1970, o prêt-à-porter comanda a moda no mundo.
 
Um dos segredos do sucesso do fast-fashion é a parceria com grandes nomes da moda  Foto: Getty Images
Fast-fashion
O fast-fashion, ou moda rápida em português, surgiu da necessidade de uma moda "básica", tanto para homens como para mulheres, devido à grande diversidade de ideias oferecidas. São peças que facilitam na hora de vestir e assim, jeans e camiseta hoje vestem o mundo. Há quem inclua no termo "fast-fashion" a roupa de confecção, barata, vendida em lojas e ruas de comércio popular. Não se pode esperar muito pela qualidade dessas peças, mas elas têm seu público.


Fonte:moda.terra.com.br

Gisele e Gianecchini estrelam campanha da Colcci


Gisele Bündchen (sempre linda, mas com aquele cabelinho feio usado no desfile) e Reynaldo Gianecchini estrelam campanha de verão 2011 da Colcci. As fotos são de Gui Paganini com direção de arte de Giovanni Bianco.

Fonte:http://chic.ig.com.br/moda/noticia/gisele-e-gianecchini-estrelam-campanha-da-colcci-veja-aqui-as-fotos-de-gui-paganini-com-direcao-de-arte-de-giovanni-bianco/fotos

Adidas reinventa uso de cadarços

Em sua mais nova coleção, Adidas decidiu mostrar que cadarços podem fazer muito mais do que fixar calçados ou salvar vidas, como faz a Nike através do projeto Lace Up Save Lives. Para tanto, aplicou o recurso de diferentes formas em peças de vestuário e calçados de cano baixo, médio e alto. 



A tradicional jaqueta com as 3 icônicas listras foram o 1º alvo dos cadarços, que também substituíram botões ou zíperes no fechamento de outros modelos. Azul, vermelho, preto e branco foram as cores utilizadas tanto para as peças quanto para os próprios cadarços.




Em camisetas e blusas, os cadarços viraram detalhes, complementos para estampas e alças. Repare na utilização constante dos laços e na possibilidade de customização que estes cordões soltos permitem. 


Dentre os calçados, alguns cadarços ganharam proporções agigantadas e outros viraram franjas, que pendem do cano do tênis. No único calçado em que os cadarços foram aplicados somente de maneira convencional, foram os ilhoses que ganharam destaque.

Fonte:http://www.usefashion.com/categorias/noticias.aspx?IdNoticia=87732

Lanvin abre loja de 5 andares

Uma das poucas grandes marcas que ainda não tinha um endereço fixo em Nova York, como salientou inclusive o diretor-criativo Alber Elbaz, a Lanvin encontrou na Madison Avenue um lugar para sua 1ª loja em Manhattan. Agora, a grife integra um grupo ainda mais seleto, o das marcas que tem lojas de 5 andares.


O térreo, cuja decoração é inspirada em residências da década de 1920, é dedicado aos calçados, bolsas, roupas para o dia-a-dia e acessórios, tudo isso em armários de madeira escura e grandes vidros. O próximo andar reúne peças vintage, em preto e branco, além de duas paredes que abrigam joias, bijuterias e sapatos.


No 3º piso, as noivas têm atenção especial e encontram não só vestidos, mas todos os acessórios necessários para um casamento Lanvin dos pés à cabeça. Os 2 últimos andares concentram a parte administrativa da maison no país.

Além dos produtos de moda, a loja oferece uma variedade interessante de itens, que compreende desde bonecas de porcelana até notebooks. Segundo Elbaz, a intenção era criar um supermercado de luxo que facilitasse a rotina de compras da cliente Lanvin. 

Fonte:http://www.usefashion.com/categorias/noticias.aspx?IdNoticia=88097

Óculos: lançamentos Prada e Dolce & Gabbana


Para o inverno 2011, Prada lança uma coleção-cápsula de óculos de sol chamada "Swing". Apresenta itens em formatos sofisticados, com uma combinação do retrô da década de 1950 com as linhas simples dos anos 1990. As peças trazem armações grossas e hastes de espessura média. Repare que o formato é uma renovação dos clássicos óculos de gatinha.

Outra grife italiana a apresentar lançamentos é a Dolce & Gabbana. Em parceria com a popstar Madonna, lança uma linha de óculos de sol com 6 modelos, também com perfume retrô. Em plástico preto, com padrão tartaruga ou até em vermelho, as peças têm armações de metal prateadas e douradas. Madonna é a estrela da campanha da grife.

Ambas as coleções estão disponíveis na Luxottica.


Fonte:http://www.usefashion.com/categorias/noticias.aspx?IdNoticia=88102

Jamie Puech - um segredo parisiense


Com fãs como Reese Whiterspoon, Angelina Jolie e Nicole Kidman, a marca francesa Jamie Puech é um daqueles segredos parisienses muito bem guardados. As peças exclusivas são completamente artesanais, e muito originais. Tudo com muito despojamento e sofisticação. São produzidos apenas cinco exemplares de cada modelo, e mais de 100 modelos a cada ano, com cores, materiais e detalhes diferenciados. Os franceses Benoit Jamin e Isabelle Puech se conheceram no final dos anos 80, trabalhando juntos no meio da moda. A vontade de criar coisas novas e mudar o tradicional fez com que eles pensassem em abrir sua própria marca, com uma identidade completamente original. No ano seguinte, em 1991, os designers ganharam o primeiro prêmio do Festival of Young Creators, em Heyre, e começaram a abrir suas boutiques pela França, se tornando por muitos anos um segredo bem guardado das fashionistas parisienses.

Com referências boho e artsy, as bolsas Jamin Puech são atemporais. Cores vibrantes e designs modernos são características das peças, consideradas arte usável, distintas e divertidas ao mesmo tempo. O trabalho artesanal e único feito em cada bolsa é um dos grandes diferenciais dos designers, que estão sempre inovando os estilos a cada temporada de moda. Qualidade do trabalho feito à mão e a riqueza de referências ecléticas são a principal característica da marca.

Tudo pode servir de inspiração para o trabalho dos designers, desde grandes nomes da moda como Jean Paul Gaultier e Yves Saint Laurent, até viagens para África e Ásia, e visitas a livrarias, antiquários e mercado de pulgas. Para criar as peças inovadoras, a dupla usa materiais como ráfia, macramê, madeira, plástico, couro trabalhado, algodão e até mesmo seda, fazendo um mix entre o tradicional e o futurista. Irreverente e sofisticado!


Fonte:http://taste.uol.com.br/news/templates/noticia.asp?t=3&idNoticia=9649&secao=Estilo

quarta-feira, 28 de julho de 2010

O verão 2010/11 da Afghan foi fotografado aqui em Friburgo


Inspiração: surrealismo, referenciando Salvador Dalí.

Modelo: Daiane Conterato.

Locação: Jardim do Nêgo, em Nova Friburgo (RJ).

 
Aposto que a Daiane saiu da cidade com a mala cheia de lingerie das marcas locais... Como diz uma amiga minha: "sua cidade é o paraíso da lingerie"
 

Über Fashion

O Über Fashion existe desde 2009 e tem como publisher o blogger Fábio Monnerat.

O blog ainda conta com colunistas convidados.

O blog é indicado pelo EnModa e pelo curso de Fashion Business da FGV-RIO, já promoveu a abertura do verão de Búzios e faz palestras sobre moda masculina e comunicação de moda em todo o Brasil.

Alguns dos nossos parceiros: Handred, Cavalera, Profuse, Divertees, Poggio, Von Der Volke, Natura, Vichy, La Roche-Posay, Couthe, SkinCeuticals, Joias
Coacci, Sobre Barba,

Sua marca no Über, escreva para: ubermcom@gmail.com

Follow by Email